quinta-feira, 20 de maio de 2010

ESCRITA IDEOGRÁFICA

É um sistema de escrita que se manifesta através de "ideogramas": símbolo gráfico ou desenho (signos pictóricos) formando caracteres separados e representando objetos, ideias ou palavras completas e os sons com que tais objetos ou ideias eram nomeados no respectivo idioma. Por isso, eram necessários tantos símbolos quantos os objetos e ideias a exprimir. Provavelmente, a escrita ideográfica evoluiu a partir de formas da escrita pictográfica.

Os mais antigos vestígios de escrita ideográfica provêm de Sumer, cujo alfabeto dispunha de quase 20.000 ideogramas.

Outro exemplo de escrita ideográfica, e um dos primeiros sistemas de escrita, são os caracteres chineses e japoneses. Os ideogramas são inscritos, separadamente, num quadrado imaginário, dispostos em colunas e lidos de cima para baixo a partir da direita. Na forma tradicional, os caracteres eram traçados a pincel. O emprego da pena de escrever deu aos signos um aspecto anguloso.

No início, a escrita traduzia somente ideias (imagens) e não sons. Entretanto, para traduzir ideias abstratas, cuja transcrição gráfica era impossível, os chineses recorreram aos símbolos (ideogramas) de objetos concretos, correspondente na língua falada, a uma palavra com o mesmo som. Deste modo, introduziram elementos fonéticos na escrita ideográfica.

Fica claro, que nessa escrita ideográfica, existe a necessidade de um vasto número de diferentes símbolos - no período Shang (1766-1122 a.C), havia cerca de 2.500; hoje em dia há aproximadamente 50 mil. Isto torna a escrita muito difícil de ser apreendida. No entanto, apresenta uma vantagem significativa: a escrita pode ser lida independentemente da língua falada. Na China, com uma população falando diferentes dialetos, este recurso mostrou-se de grande valia.

Devido à resistência prolongada da China e Japão a influências externas, a escrita chinesa e japonesa alterou-se muito pouco na sua essência, desde que foi inicialmente desenvolvida, nunca evoluíram para outra forma de escrita, permanecendo não alfabética até hoje.

Em nossa escrita, usamos alguns símbolos ideográficos. O caso mais notável é a nossa representação dos números: [0] lê-se zero, [1] lê-se um, [2] lê-se dois e assim por diante. Observe que com apenas um sinal gráfico representamos uma palavra inteira que nos dá uma ideia completa.

As abreviaturas de nossa ortografia também podem ser consideradas símbolos ideográficos: [a.C.] lê-se antes de Cristo. / [V.S.a] lê-se Vossa Senhoria - [Adv.] lê-se [advogado]. Note que a abreviatura pode representar uma palavra ou uma locução. Nesse caso, o somatório de letras da abreviatura é que compõe o símbolo ideográfico.


fonte: http://recantodasletras.uol.com.br/gramatica/370335

Nenhum comentário:

Postar um comentário